São Paulo ligue: (11) 3743 2166 e Belo Horizonte (31) 98801 8844

 

 

O método de constelação sistêmica foi criado por Bert Hellinger, filósofo, teólogo e pedagogo, nascido na Alemanha, em 1925.
Como membro de uma ordem de missionários católicos, estudou, viveu e trabalhou, durante 16 anos, no sul da África, entre os zulus, dirigindo várias escolas de nível superior. Depois, voltou para a Alemanha, deixou de ser padre e casou-se. Estudou psicanálise e, por meio de dinâmica de grupos, da terapia primal, da análise transacional e de diversos processos hipnoterapêuticos, desenvolveu o método de constelação sistêmica e familiar.
Bert Hellinger

Método de constelação sistêmica e familiar

Trata-se de um método que não pertence à área da psicologia, mas à da fenomenologia. Tem como objetivo propiciar uma maior compreensão da vida, no campo dos relacionamentos interpessoais: ligados à família, ao trabalho, ao amor e também à saúde.
O objetivo do trabalho é trazer à consciência, que sua dificuldade hoje, tem uma “origem” e um “sentido” no passado e que influi decisivamente em seu comportamento e sentimento atual. Com esta nova “compreensão”,  é possível agir e sentir diferente, como uma nova programação de comportamento e sentimento.
A constelação sistêmica pode ser feita em grupo ou individualmente.

Constelação em grupo:

Para a execução deste trabalho, reúne-se um grupo de pessoas interessadas em fazer a constelação. Os participantes podem expor alguma questão ou, simplesmente, participar do grupo. Ao interagir com o problema apresentado, verifica-se a origem do mesmo.
Além da pessoa que faz a constelação para expor seu problema, aqueles que participam do grupo também são beneficiados, afinal, muitos podem se identificar com a questão apresentada.
Este trabalho possibilita uma reflexão em relação aos seus próprios problemas, além de uma experiência única, envolvendo sentimentos até então desconhecidos.

Constelação individual:

A constelação sistêmica também pode ser feita individualmente. O trabalho é realizado por meio de bonecos e objetos. Eles representam a dinâmica familiar. Dessa forma, são identificados, como um mapa, os padrões de repetição na própria família.
Qualquer pessoa pode se beneficiar deste trabalho, pois não há nenhuma restrição.
É importante ressaltar que:
  • Embora não pertença ao ramo da psicologia, esta ferramenta tem sido utilizada por diversos profissionais dessa área.          O objetivo do uso deste método, é o de dinamizar o trabalho realizado durante o processo terapêutico.
  • Este método não tem nenhuma ligação com religião ou visão mística. Trata-se de uma nova ciência.